Ao se deparar com pessoal do quilombo no casamento de Bruno, Nádia interrompe a cerimônia e toma atitude surpreendente, em O Outro Lado do Paraíso

By | 3 de maio de 2018

Durante o casamento de seu filho Bruno com a juíza Raquel, Nádia vai surpreender a toda a gente. Uma grande quantidade de pessoas do quilombo está presente na cerimônia.

Raquel está muita feliz com a presença da Mãe do quilombo, mas se assusta com a atitude de sua sogra bem na hora que o juiz está falando.

“Estou muito feliz. O pessoal do quilombo, que viu a Raquel crescer, também está aqui. E os irmãos que moram em outra cidade, que se juntaram pra ela se formar juíza”, diz a Mãe do Quilombo.

“Que bom. O quilombo inteiro veio”, dispara Nádia. “Mãe, se controla. Por favor, não dá fora”, pede Diego, bastante apreensivo.

“Imagine se eu vou dizer alguma coisa absurda. Só preciso saber quem é o homem que vai entrar com a noiva”, diz Nádia, e a Mãe do Quilombo responde: “É um primo do pai dela. A Raquel já não tem muitos parentes vivos. Mas eu falei com ele. Vai fazer o papel do pai, que não está mais aqui entre nós”. “Que bom! Tão solidários”, responde Nádia.

Enquanto Bruno espera a noiva no altar, Raquel entra vestindo um vestido simples, acompanhada de um senhor de idade. “Eu gostaria de dizer algumas palavras. Que Raquel e Bruno vivem felizes, sempre em harmonia. Que o amor una sua família e que seja uma linda família bem constituída”, diz o juiz.

Mas Nádia vai interromper a cerimônia bem na hora do beijo: “Eu também gostaria de dizer algumas palavras”. “Mãe! Até na hora do casamento você insiste em falar! ”, reclama Bruno.

“Eu preciso fazer isso. Quero que todos escutem o que tenho a dizer. Eu sempre dizia que eu não era uma pessoa racista. Mas eu era racista sim”, diz Nádia, contando o preconceito que tinha contra Raquel.

“Essa jovem que o meu filho escolheu para casar trabalhou como doméstica em minha casa há muitos anos. Na época, meu filho se apaixonou perdidamente por ela, e eu fiz tudo para separá-los porque ela é negra. Mesmo quando ela voltou à cidade como juíza, eu fiz de tudo para separá-la do meu filho, mesmo sabendo que ele a amava”, revela a dondoca.

“Eu sei que atrapalhei muito a vida dos dois, mesmo sabendo que meu filho só seria feliz ao lado dela. Mas Deus me mandou um lindo ensinamento, o meu neto afrodescendente, o Marquinhos. Muita gente tem dúvidas mas eu sei que ele é meu neto de sangue. Nós temos antepassados negros na nossa família, tanto do meu lado como de meu marido”, diz Nádia.

“Eu amo muito esse menino. Eu descobri que não importa a raça de uma pessoa, não importa a cor da sua pele. O amor é o que realmente importa. Por favor, me deem muitos netos. Eu juro que vou amar todos eles. Vou ser a avó mais feliz que existe”, termina Nádia, o agradecimento emocionado do casal.

Logo a seguir, Raquel joga o buquê e Clara é quem o apanha. Gael olha, demonstrando estar feliz, e Patrick sofre ao ver a cena.

“É meu”, comemora Clara, olhando para Patrick e Gael. “Vai casar, Clara”, diz Raquel. “E vai casar logo! ”, completa Nádia. “Quem sabe! ”, finaliza a mocinha

A cena descrita acima irá ao ar no dia 4 de maio.